Office sweet Office

Office sweet Office

Chegar da rua. Preparar um delicioso chá. Sentar-se em um poltrona extremamente confortável e… começar o trabalho. O prazer e desfrute de cada momento, mesmo durante a jornada de trabalho, faz parte da missão e da realidade dos arquitetos e designers Luiz F. Costa e Rodrigo Irffi no comando do versátil Estúdio Iludi. Para eles, o escritório precisa ser a extensão do lar, um ambiente recheado de referências, um reflexo de suas personalidades.

Cerâmicas da Cida e Neguinha e Jaca, do projeto sertões da Zizi Caldari acompanham conjunto de Vasos Cangaço e suporte de plantas pendente Guirlanda.
Detalhe Poltrona Void, do Estúdio Iludi com conjunto de vasos da Sui Design

Não há como negar que estejam certos. Quem não gostaria de passar a maior parte de seu tempo em um ambiente acolhedor, que abraça os olhos e, ao mesmo tempo, inspira? Mesmo em empresas onde metas e resultados exercem stress imperativo, trabalhar para que cada profissional se sinta parte de um todo, parece ser uma receita sem falhas. Produtividade é sim, um sintoma da alegria.

Luiz F. Costa e Rodrigo Irffi com duas de suas luminárias: Luminária Joca + Luminária Alma N1

“O Estúdio Iludi acredita que as ideias estejam em movimento. Para nós, e nossa geração, todas as descobertas diárias precisam ser aproveitadas e catalogadas no repertório de cada um para uso futuro. Sem barreiras, sem padrões. Assim, não faria sentido trabalharmos em um espaço não orgânico, limitado por convenções e praticidades”, explica Rodrigo Irffi, em um tom de voz tão suave que nos faz acreditar que todos seus objetivos caminham ao seu lado.

Poltrona vintage Carlo Houer e Martin Eisler com mesa latera Duo, de autoria do estúdio e obra Nao Yusa.
Conjunto em concreto natural dos Vasos Ghost

A curadoria do escritório é coerente com sua fala. Peças trazidas de todo o Brasil, que contam a trajetória do estúdio em uma narrativa limpa, que não os deixa esquecer de cada conquista sob a melhor ótica: a da lembrança.

Suas criações navegam entre referências, inspirações e objetos garimpados a dedo, pelos próprios sócios que buscam na simplicidade, na forma e no conteúdo, reflexos da alma. “Nosso escritório é com um álbum de lindas memórias. Adoramos o que fazemos e isso se reflete aqui, por toda parte”, afirma Luiz F. Costa entre um afago ao lindo Brownie, mascote do Estúdio, e o desenho de uma cadeira surpreendente, que será lançada em breve.

Poltrona Muda com mesa Duo e Luminária Esfera da Tomada
No armário, uma pequena coleção afetiva, complementa a decoração: Vasos Ghost em concreto preto, esculturas de edição limitada da Alva Design e da Sui Design e peça em madeira do designer Ále Alvarenga.

A própria casa é o fio condutor. Antiga, dos anos 60, com janelas amplas e largas, cheia de suportes, trás um romantismo intrínseco a sua estrutura e acaba por diminuir a velocidade do vidro e plástico. O resultado, um clima “demi-bucolic”, permissivo, que convida a criação mesmo quando o relógio parece não querer perdoar.

A sala de reunião recebe parede com composição de posters de autoria do Estúdio Iludi.
A estação de trabalho é composta por uma grande mesa de granito Nero Marquina. Destaque para o centro de mesa por um fio.

Em um ambiente tão vivo, toda a carga negativa, comum em um ambiente corporativo, parece não adentrar. Um oásis contemporâneo onde artesanal e industrial se divertem em um ode à diversidade. E como não ser assim? Desde a primeira peça do estúdio, a versátil Luminária Muda, o experimentalismo gerou frutos que vão de quadros a poltronas, passando por adornos e obras de arte sem nenhum pudor que não seja a própria verdade do espírito Iludi.

A área externa, com muro verde, ganha mobiliário da linha Grilo, edição exclusivo da Qubo.

Fotos: Tiago Nunes | Dentro.Fotografia
Direção de Arte: Studio Tertúlia (Anna Lara e Amanda Mendonça)
Texto: Luiz Abreu

PT  |  EN